Blog, SEO, Visitantes Qualificados,

Quando seu site estará na primeira posição do Google?

Por Ana Paula Agostini em 10 de abril de 2020
Vamos comentar sobre algumas previsões do tempo que leva para subir no alto do ranking, além de ações que corroboram para o sucesso dessa “escalada”. Confira!
Leitura de 8 minutos

“Quando vamos estar na primeira posição do Google?”

Se você produz conteúdo, certamente já se perguntou isso.

Chegar na primeira posição nos buscadores é um trabalho de formiguinha. Embora existam ações que mostram resultados a curto prazo, estar no topo requer tempo e trabalho duro (e, muitas vezes, trabalho constante).

Neste artigo, vamos comentar sobre algumas previsões do tempo que um conteúdo leva para subir ao topo do ranking, além de ações que corroboram para o sucesso dessa “escalada”. Vamos lá?

Por que a primeira posição é tão importante?

Vou te responder essa pergunta com outra: quando você pesquisa algo no Google, você geralmente clica em um dos primeiros links ou rola até o final da página?

É bem provável que você clique em pelo menos um dos primeiros artigos a aparecer nos resultados.

Alguns estudos apontam que 87% dos cliques se concentram entre os cinco primeiros resultados da página. O primeiro resultado tende a levar 47% dos cliques. O segundo, fica com 15%.

A diferença é enorme, né?

É por isso que uma preocupação tão grande de quem produz conteúdo é não só entregar informação ao usuário, como otimizar o texto para os buscadores.

Mas, como você pode imaginar, chegar ao topo não é nada fácil.

Passo zero para chegar no topo do Google: aparecer

Antes de pensar em destacar-se nas páginas do Google, é preciso estar presente nas pesquisas, concorda?

Para isso, você precisa indexar seu site, ou seja, mostrar o caminho para que o Google esteja ciente da existência de suas páginas.

E, para indexar seu site, você precisa criar conteúdo que seja correspondente às palavras-chave para as quais você quer buscar a primeira posição.

O primeiro passo para isso é pesquisar por essas palavras-chave e identificar o que os seus competidores estão fazendo. Qual o direcionamento dos conteúdos que aparecem nos resultados? Que tipo de conteúdo é esse (com imagens, listas, vídeos, etc.)?

Depois dessa análise, é hora de produzir seu conteúdo. E otimizar este texto para os buscadores com a ajuda das ferramentas de SEO.

Publiquei meu conteúdo, por que não estou no topo?

O Ahrefs, suíte de ferramentas para SEO, conduziu uma pesquisa com 2 milhões de artigos e concluiu que você demora, em média, de 2 a 6 meses para chegar ao primeiro lugar do Google, mas apenas se você fizer tudo certo em sua estratégia. E tiver “sorte”.

É essencial entender que a SERP (a página de resultados) está em constante atualização. O algoritmo do Google faz pequenos ajustes com frequência, e seus concorrentes também podem estar otimizando seus artigos.

Além disso, existe um fator muito importante a ser considerado: a personalização de resultados do Google.

Como buscador, o objetivo principal do Google é entregar o melhor resultado para o usuário.

Mas o que você quer dizer com isso, Ana?

Quando eu procuro “Inbound Marketing” no Google, ele vai levar em conta todo meu histórico de navegação e pesquisa antes de me retornar os resultados. E ele fará o mesmo quando você buscar pelo mesmo termo.

E nossos resultados muito provavelmente serão diferentes, uma vez que nosso comportamento online é diferente.

É claro, essa variação dificilmente vai colocar em primeira posição para um usuário, um artigo que está na 50ª posição para outro. Mas existe certa “flexibilidade” nos resultados.

Como saber a posição do meu artigo no Google?

Existem duas formas mais “seguras” de entender como seu artigo está desempenhando nas pesquisas.

A primeira, mais simples e gratuita, é pesquisar pelo termo usando uma nova janela anônima no seu navegador. Isso vai eliminar o seu histórico de uso e fornecer resultados mais “universais”.

A segunda é utilizando uma ferramenta de análise, como o SEMRush ou Ahrefs. Essas ferramentas são pagas, mas fornecem – além da posição da página – dados sobre o volume de tráfego que chegou na página através daquela keyword.

Afinal, de que adianta estar em primeiro lugar nos resultados para um termo que raramente é procurado?

 O que você precisa para estar no Top 10

Você registrou um domínio, desenvolveu um site e já acompanha seu progresso através de métricas consistentes. E agora?

Os temas que você precisa dominar (ou ter alguém que domine em seu time) são: Marketing de Conteúdo, SEO, e Link Building. Vamos um pouco mais à fundo sobre como usá-los para subir no ranking do Google:

Marketing de Conteúdo

Para ganhar posições, você precisa de excelência no que você oferece.

Eu já disse antes e você provavelmente já deve estar cansado de saber, mas vale repetir: o Google não vai deixar chegar ao topo uma página fraca. Para chegar lá você precisa mostrar que é autoridade no assunto.

E é justamente com conteúdo de qualidade que você constrói o relacionamento com sua audiência (e seus clientes).

Lembre-se: O conteúdo é a base do relacionamento. E relacionamento é a base do Inbound Marketing.

Conteúdo constrói relacionamentos

Para entender como seu conteúdo se relaciona com suas vendas, além de produzir conteúdo de qualidade, você deve manter um monitoramento do fluxo de visitas de suas páginas (assim você sabe como os leitores interagem com o conteúdo) e analisar como os clientes atravessam o funil de vendas.

>> Se você quiser mais informações sobre essa estratégia-chave para o Marketing Digital, criamos um Guia do Marketing de Conteúdo, com dicas fundamentais para conseguir os melhores resultados.

SEO

Visitantes do seu site podem nem perceber, mas estratégias bem elaboradas de SEO são valorizadas pelos robôs da Google.

Dicas de SEO para que seu site fique em uma posição bem melhor:

  • Escolha bem a palavra-chave de cada um de seus conteúdos;
  • Pesquise e teste como se você fosse seu cliente, veja o que a concorrência está fazendo;
  • Crie títulos e subtítulos com variações da palavras-chave;
  • Use o Planejador de Palavras-Chave do Google para analisar volume de buscas e o CPC de cada termo e escolher estrategicamente.

Mas lembre-se sempre: Não sacrifique a qualidade do texto ou experiência de leitura para seguir as recomendações de SEO. Antes de mais nada, o Google preza pela experiência do usuário. E ele já está craque em entender quais conteúdos têm qualidade e quais foram construídos apenas para ranquear.

Link Building

Debate-se muito sobre o peso que as linkagens têm nos fatores de ranqueamento. Mas sabe-se que elas são importantes.

Quando um site faz um link para o seu, ele está atestando pela qualidade do seu conteúdo, está recomendando esse conteúdo.

A estratégia de construção de links também faz parte de estratégias de SEO, mas optamos por falar dela separadamente aqui para dar duas dicas de como conseguir linkagens:

  • Tenha um bom relacionamento online, em canais da comunidade de seu nicho, mas lembre-se que a nutrição desse relacionamento deve ser genuína e não por interesse!
  • Crie conteúdos diferenciados, como infográficos e webinars. Conteúdos completos e realmente úteis tendem a ser mais compartilhados.

Esses são os três pilares que você deve ter em mente para ranquear melhor dentro das SERPs.

Antes de encerrar, vamos dar mais uma dica que é fundamental para sua estratégia.

[Extra] Otimização de textos antigos:

Talvez você não tenha reparado, mas já voltamos algumas vezes nesse artigo, para ampliar e complementar as informações. E iremos continuar fazendo isso mais vezes.

Afinal, quantas vezes quando se fala de melhora de ranqueamento no Google você já deve ter ouvido sobre uma quantidade muito grande de lançamento de artigos?

“Vamos publicar todos os dias!”.

Não quero entrar no mérito de quantidade, mas lembrá-lo que qualidade é ainda mais importante. Por isso lembrarmos a analogia de Palco e Combustível quando falamos de Marketing de Conteúdo. Se você ainda não conhece pode dar um play nesse vídeo aqui: 👇


Em outras palavras, (considerando que assistiu o vídeo acima), é muito indicado que, ao invés de lançar dois artigos novos por semana, por exemplo, você lance um novo (novas páginas perante o Google) e retorne em um passado para fazer sua otimização.

Começamos esse processo em meados de 2018 e o resultado é muito forte, e faz todo sentido. O artigo (que é uma página) ganha um reforço no corpo, nós divulgamos novamente, e corrigimos o que precisa ser revisado.

Qualidade, qualidade, qualidade…

Por isso, para chegar na primeira posição do Google, essa é a nossa dica extra. Se organize para frequentemente revisar artigos antigos que fazem sentido para sua estratégia.

E você? Já realiza algum desses processos?
Ficou interessado em começar?

Fale com a gente nos comentários!

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Ana Paula Agostini
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x