Blog, Ferramentas, RD Station,

Otimizando Ads com o RD Station – Método tubo pasta de dentes

Por Content em 26 de abril de 2017
Como utilizar a funcionalidade avançada do RD Station, o BI (Business Intelligence), para que ele impacte diretamente nas otimizações das suas campanhas de Ads!
Leitura de 5 minutos
Otimizando Ads com o RD Station – Método tubo pasta de dentes
5 (100%) 3 votes

Em uma campanha de Inbound Marketing, o objetivo principal é aumentar sempre o volume de Leads Qualificados e, consequentemente, conseguir mais oportunidades de vendas.

O Funil de Vendas é um velho conhecido que exemplifica esse fluxo, que nada mais é que um processo para conduzir e acompanhar desde o primeiro momento em que uma pessoa conheceu a sua empresa até o momento que fez a aquisição de um produto ou solução.

No artigo de hoje, vamos entender como utilizar uma funcionalidade avançada do RD Station, o BI (Business Intelligence), para que ele impacte diretamente nas otimizações das suas campanhas de Ads. Se você não conhece o RDStation a fundo, pode ver o artigo mais completo que já fizemos.

Essa estratégia que montamos, nós chamamos aqui de “método tubo pasta de dente”. Entenda mais!

Como otimizar campanhas de Ads em Inbound Marketing?

Quando se trata de Ads, em plataformas como Adwords, Facebook Ads, e LinkedIn Ads estamos lidando com ferramentas que podem impactar muito no desafio de  atração de visitantes com o objetivo da conversão em Leads.

Como já explicado em um artigo anterior sobre montar uma estratégia de Ads em Inbound Marketing, todas as campanhas devem ser qualificadas na estratégia de Inbound com sua finalidade de atingir o topo, meio e fundo de funil para assim trabalhar em harmonia com o fluxo de Inbound.

Em um primeiro momento, muitos gestores ficariam satisfeitos com bons volumes de Leads a um baixo custo. Porém, a pergunta feita depois de todas as campanhas configuradas é: “E aí, dá para melhorar?”

A resposta é sim, dá para otimizar a base de atração de Leads para que resulte em mais Leads Qualificados. Porém, para conseguir tal façanha é necessário sacrificar parte das conversões dessa base em detrimento de melhores resultados.

O efeito pode ser descrito como espremer um tubo de pasta de dentes na sua base empurrando seu conteúdo para a ponta e assim, fazer render mais Leads Qualificados. Aí que se explica o nome do método que vai no título deste artigo.

Como configurar para funcionar o método “Tubo pasta de dentes” no RD Station

Antes de tudo você precisa identificar de onde estão vindo seus Leads Qualificados e até aí, não existe nenhuma novidade.

Algo fácil de se obter no relatório de B.I (Business Intelligence), funcionalidade avançada do RD Station, para  identificar os canais com melhor desempenho.

A tática mais simples nesse caso é investir a maior parte da verba no canal ou rede que atrai mais qualificação, mas vamos tratar de ir mais a fundo.

A princípio, o relatório do RD não mostra a campanha de origem do Lead como Adwords e Facebook Ads. Para fazer isso, você pode trabalhar com a configuração de valores UTM (Urchin Tracking Module ou Módulo de Rastreamento Urchin).

Assim por exemplo, em caso da origem de uma visita ser no Search (no serviço de busca) ou na Rede de parceiros (no Display) através de uma campanha do Google AdWords, para que o RD Station reconheça a origem dessa campanha ou grupo de anúncios de um Lead, o link utilizado nos anúncios deve ser codificado.

Sempre que precisar criar uma UTM, conte com o auxílio do Criador de URLs.

Uma dica prática aqui é entender que o RD Station só reconhece o valor “source” ou origem da campanha. Sendo assim, pode-se descartar o preenchimento dos demais valores.

Depois disso, você precisa acessar a conta do seu Analytics e realizar os seguintes passos:

– Acesse sua conta Google Analytics;
– Clique em Administrador no canto inferior direito para abrir a interface administrativa;
– Escolha a conta e a propriedade;
– Clique em Configurações da propriedade;
– Marque a caixa de seleção “Permitir que a codificação manual (valores UTM)” substitua a codificação automática (valores GCLID);
– E clique em Salvar.

Com esse método, o RD Station identifica a origem do Lead em seu relatório. Logo, da mesma maneira que se pode investir mais nos canais de melhor rendimento é possível identificar as campanhas ou grupos de anúncios que trazem mais Leads Qualificados para sua base.

No caso do Facebook Ads, o processo é um pouco mais simples e pode ser feito por meio de parâmetros de URL para identificar a origem do Lead.

Como os valores UTM, o RD só irá puxar um “value tracking” para o campo de origem do lead.

Porque vale usar o método no seu Inbound Marketing?

Usar esse método para otimizar sua campanha de Inbound Marketing não é algo para resultado imediato. O ideal é que você comece a usar essas configurações desde o início da sua atuação em Ads e, em um longo prazo, possa identificar suas fontes de Leads Qualificados para fazer os ajustes de investimentos necessários e melhorar seus resultados.

Utilizar o método ajudará a você entender o quanto o AdWords ou Facebooks Ads ajudam realmente impactando na aquisição de Lead. Ter esses dados precisos, facilitará quando você quiser saber que campanha trouxe um contato quente para sua equipe comercial.

É válido comentar que essa avaliação (sobre o impacto em Leads Qualificados) precisa também que você esteja usando o RD Station corretamente. Em outras palavras, não adianta saber a origem do canal que trouxe o Lead se você não estiver registrando que Lead é Qualificado, ou Oportunidade ou realmente fechou um vendas, no CRM do seu RD Station.

Será o cruzamento da origem do canal (sem falhas na informação) com o registro correto do processo de vendas no RD Station que fará a diferença para você saber onde acelerar os seus investimentos em Ads de modo que impactem diretamente no crescimento de clientes para sua empresa.

E você, já usou essa funcionalidade do BI no RD Station? Deixe seu comentário!

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Content

Content

Artigo produzido pela nossa equipe de Content Marketing.
Content