Analisar, Blog, Inbound Sales,

10 erros que te impedem de fazer o Inbound Marketing funcionar

Por Content em 19 de abril de 2017
Os principais erros que te impedem de fazer o Inbound Marketing funcionar e ficar munido de todas as armas para fazer o negócio engrenar de vez!
Leitura de 9 minutos
10 erros que te impedem de fazer o Inbound Marketing funcionar
5 (100%) 2 votes

Como Agência de Inbound Marketing que somos, temos um vasto conhecimento dos fatores que interferem no sucesso da estratégia de Inbound Marketing.

Muitas dessas interferências até mesmo desqualificam a estratégia. Sim, a sua empresa pode não estar propriamente fazendo Inbound Marketing. É comum pensar que a metodologia não funciona, pelo simples fato de não a estar executando como se deveria. Resultado? Os chamados “furos” nas etapas e um crescimento que nunca vem.

Temos diversas razões para fazê-lo acreditar que Inbound Marketing é uma metodologia efetiva, assim como um número enorme de observações para que você compreenda que uma estratégia errada é o real motivo para não estar aumentando a receita por meio do Inbound.

Por isso, fizemos este artigo como uma espécie de “tutorial” de como não fazer Inbound Marketing. Esse é o momento em que você se pergunta: “Por que eu ia querer saber isso?”. Porque desta maneira você estará munido de todas as armas para fazer o negócio engrenar de vez. Acredite.

Sem mais delongas, vamos aos erros? 🙂

1. Deixar alguns canais muito carentes

O Inbound Marketing é uma metodologia, isso você já sabe. Nesse sentido, não será apenas uma prática dentro dela que fará tudo acontecer. Vou dar um exemplo claro: não adianta investir em Facebook Ads e não investir em E-mail Marketing.

Eu digo isso porque cada canal está diretamente ligado ao funil de vendas. Os anúncios do Facebook, por exemplo, estão bem ligados ao topo do funil, por conta da base de informações que o Facebook disponibiliza para os anunciantes.

Já o E-mail Marketing é uma ferramenta de relacionamento para os contatos que já entraram na sua base. As Landing Pages vão ajudar a identificar o momento de compra. Já com o Lead Scoring e Lead Tracking, será possível identificar os leads ideias para uma abordagem comercial.

Tenha certeza de que se uma engrenagem falhar, existem grandes chances do processo inteiro não funcionar.

2. Querer investir muito pouco e ter resultados instantâneos

Com a devida aplicação do Inbound Marketing é provável que você tenha um CAC (Custo de Aquisição por Cliente) baixíssimo e um resultado perene. No entanto, no início do processo é preciso uma dose extra de paciência e investimento, pois os resultados não são imediatos e começam a aparecer em médio/longo prazo.

Se no começo é preciso de muita energia e persistência, uma vez que a sua marca ganhar força, será muito difícil desbancá-la.

Fazer Inbound Marketing corretamente é como conquistar, a cada dia mais, a confiança de uma pessoa em um relacionamento pessoal. Mas, ao invés de conquistar a confiança de um, você conquista de milhares ao mesmo tempo (repito, em médio e longo prazo).

O conselho é: aposte em uma estratégia efetiva e tenha confiança no processo. Assim, o seu público-alvo também terá confiança na sua marca.

3. Gerar Leads, mas não se relacionar com a base

Vamos supor que você contratou um software de Automação de Marketing – aqui utilizamos o RD Station – começou a anunciar muito no AdWords e no Facebook Ads e, ainda por cima, têm investido em algumas ações de SEO para o seu site. Provavelmente, se continuar, a sua empresa começará a receber um bom volume de Leads. Mas será que isso significa que irá faturar mais?

Arrisco dizer que não. Mesmo que Leads com vários níveis de interesse entrem em sua base, de nada adianta deixá-los “esfriar” não mantendo contato ou, por outro lado, fazer uma ligação telefônica para todos ao mesmo tempo.

Explico o porquê: A grande maioria dos seus Leads não estão prontos para comprar. Eles podem não saber o que querem, ou até mesmo não entender sua solução na totalidade. Se não haver relação, eles irão esquecer sua empresa. Caso escolha ligar para todos de cara, pode assustá-los e perdê-los para sempre.

Bem, já ouviu falar em nutrição de Leads? Não? Pois bem, você deveria: aqui tem um artigo completo sobre nutrição de Leads.

4. Só se preocupar com o contatos prontos para compra

Aqui podemos fazer um gancho com o tópico anterior. Se a sua empresa só está se preocupando com os Leads que levantam a mão e dizem: “eu preciso de você”, sua empresa está, no mínimo, deixando dinheiro na mesa.

E se você começasse a manter contato com os que sabem o que querem, mas ainda não estão convencidos de sua solução é a melhor? Pois bem, aí é que está.

O Lead Scoring – funcionalidade do RD Station que permite atribuir notas aos Leads – pode ajudá-lo a identificar quem são os Leads prontos para compra, e quem ainda precisa ser educado para se tornar um comprador em potencial. Saiba como qualificar seus Leads de acordo com seus perfis e interesses.

5. Mentalidade: “Quando dá fazemos, quando não dá…”

Se pudéssemos destacar um dos maiores erros no processo Inbound, esse seria o top #1. Ter resultados em Inbound Marketing é muito mais sobre disciplina do que sobre “sorte”, como muitos pensam.

Seja empático e coloque-se no lugar do seu público: como você iria se sentir em relação a uma marca, se ela publicasse em um mês quatro artigos, e em outro apenas um?

Ou se esta mesma marca enviasse cinco e-mails em uma semana e na outra não enviasse nenhum? É preciso frequência disciplinada de publicações (blogs e redes sociais) e campanhas de e-mails e Ads. Mais importante do que isso é dosar essa frequência, não sendo invasivo demais e nem “desnaturado” demais com seus Leads, certo?

6. Não pensar na qualidade do conteúdo

A base do Inbound Marketing é o Marketing de Conteúdo. Sim, trata-se de uma relação de coexistência. Dizer que se faz Inbound sem Marketing de Conteúdo é o mesmo que dizer que se é veterinário, mas não se têm cuidado com os animais. Impossível, entende?

O Marketing de Conteúdo compreende em atração, a conquista e o encantamento do público alvo por meio do conteúdo, e isso tem que ser levado a sério. Nada de fazer conteúdos genéricos de 200 palavras, pegar conteúdos de outros blogs similares ou escrever sobre qualquer coisa e para qualquer um só para fazer volume.

Desta maneira, você não só prejudicará seu domínio perante o Google, como também dará um “tiro pela culatra”, dispersando pessoas ao invés de atraí-las. A concorrência é muito grande, então faça conteúdo de qualidade.

7. Escrever conteúdos para ninguém e todo mundo

Como falamos anteriormente, o conteúdo tem que ser de qualidade. Para alcançar essa excelência, você tem que saber para quem está escrevendo e sobre o que aquelas pessoas gostariam de ler. Não fazer isso é como puxar conversa com alguém de quem você quer se aproximar e não saber nada sobre a pessoa, ou seus gostos.

“Você viu o acidente na rodovia? Foi feio! Aliás, você gostaria de um café?” Sério, definitivamente não vai colar.

Se a sua empresa publica artigos e não sabe para quem, aí vai um apelo: Defina personas hoje mesmo!

8. “Só farei conteúdos sobre minha empresa e produto”

Esse é outro grande erro. Se você não conhece o conceito de jornada de compra, sugiro que leia este artigo primeiro. Nós entendemos que a primeira vista pode parecer mais efetivo falar sobre o quão bom é o seu produto para lustrar a lataria do carro e sobre como ela fica brilhante se aplicá-lo uma vez, toda semana (“sério, fica realmente linda!”).

Mas e quanto a quem nem sabe que precisa de um produto assim? E quanto aqueles que ainda não sabem nada sobre limpeza de carros? Será que estas pessoas comprariam de uma marca que só fala de si mesma? Apenas não.

Aqui, a palavra-chave é estratégia. Você precisa criar conteúdos para atrair pessoas, fazê-las reconhecer uma necessidade, considerarem sua solução e, enfim, optar por ela. Desta maneira sim, você terá resultado.

9. Apostar em tudo e não analisar nada

Trabalhar com múltiplas frentes é preciso, de fato. No entanto, de que adianta apostar em vários canais e não monitorar o desempenho de nenhum deles? Desta maneira, nunca se saberá o que dá errado, o que dá certo e o que pode ser ampliado.

Tudo bem, a expertise para análise de dados e tomada de decisões em Marketing Digital não é algo que se aprender rapidamente e do dia para noite. Se você não tem equipe para isso, que tal apostar em profissionais especializados? O retorno é bem mais garantido.

10. “Os Leads viram vendas automaticamente. Certo?”

Sim e não. De fato, o Inbound Marketing faz quase todo o trabalho. Por meio da metodologia, você atrai o público, você o educa, você o engaja e o torna mais próximo da empresa. Com o tempo, o Inbound poderá gerar encantamento pela sua marca e aí sim propiciar as vendas espontâneas.

No entanto, um crescimento forte de vendas não se faz sozinho. É preciso o auxílio de uma equipe comercial comercial para abordar os MQL (contatos qualificados pelo Marketing), torná-los SQL (contatos qualificados pelo comercial) e transformá-los efetivamente em vendas.

A sua empresa precisa de Inbound Marketing e de uma equipe comercial atuando em conjunto. Fazendo isso, será muito mais fácil colher bons resultados!

Três ingredientes básicos para o Inbound:

Para conseguir sucesso com o Inbound Marketing são necessários basicamente três ingredientes: paciência, disciplina e confiança no processo.

Se você não tem um setor de Marketing na empresa, vale considerar a contratação de profissionais especializados. Bem deixo este artigo, que poderá ajudá-lo a entender quando é preciso contratar uma agência, e quando não. Até a próxima!

Dúvidas? Manda para a gente 🙂

Você gostou do nosso artigo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Content

Content

Artigo produzido pela nossa equipe de Content Marketing.
Content